Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube

Institucional

IMLAP é primeiro órgão de perícia técnica do Brasil que passará a atuar dentro dos protocolos da ONU na perícia de casos de torturas

Fotos: Divulgação

ASCOM - Assessoria de Comunicação
22/03/2019 18h09 - Atualizado em 22/03/2019 18h14

O Instituto Médico Legal Afrânio Peixoto (IMLAP) da Secretaria de Estado de Polícia Civil vai se tornar o primeiro órgão de perícia técnica e científica do Brasil a atuar dentro dos protocolos mundiais da Organização das Nações Unidas (ONU) na análise pericial de casos envolvendo tortura.

Representantes do The International Bar Association’s Human Rights Institute (IBAHRI), instituição internacional que atua em favor dos direitos humanos, estiveram essa semana no instituto ministrando aos legistas do IMLAP aulas sobre o Protocolo de Istambu, manual para a investigação e documentação eficaz da tortura e outras penas ou tratamentos cruéis, desumanos ou degradantes, produzido pela ONU. O protocolo visa oferecer mais informações aos peritos para identificação de casos de torturas físicas e psíquicas a que podem ter sido submetidos presos, podendo ser evidenciadas no exame de integridade física.

- É necessário mudar a visão pré-concebida de que tais exames são meramente burocráticos e executá-los com máxima atenção como já tem sido feito por nossos legistas. Teremos, dessa forma, acreditação internacional na investigação de torturas, elevando a qualidade da polícia técnica do Rio de Janeiro - avaliou a diretora do IMLAP, Gabriela Graça.