Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube Player

Notícias

Rogério 157 é preso durante operação conjunta na comunidade do Arará

Fotos: Paulo Toscano

ASCOM - Assessoria de Comunicação
06/12/2017 18h38 - Atualizado em 06/12/2017 23h59

O chefe do tráfico de drogas da Rocinha, Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, foi preso, na manhã desta quarta-feira, durante operação conjunta desencadeada por policiais civis, militares e federais, a Força Nacional de Segurança e as Forças Armadas. O traficante foi localizado na comunidade do Arará, em Benfica, na Zona Norte do Rio. Rogério 157 era um dos criminosos mais procurados do Rio de Janeiro e foi o responsável pelo início da guerra na comunidade em setembro deste ano.

Na ação, os agentes prenderam 14 pessoas e apreenderam cinco adolescentes. Também foram arrecadados um fuzil, uma espingarda calibre 12, duas pistolas, um revólver, três carregadores de armas, dois simulacros de fuzil e um de pistola, uma granada, munições, uma grande quantidade de diversas drogas, rádios transmissores, cadernos de contabilidade e dinheiro em espécie.

“Parabenizo todos os agentes que participaram da ação que resultou nessa importante prisão, mas quero fazer um agradecimento especial para a Polícia Civil e a Polícia Militar do Rio de Janeiro pela dedicação demonstrada no dia a dia a despeito das perdas de recursos que vem sofrendo ao longo desses últimos tempos”, comentou o secretario de Segurança Pública, Roberto Sá, que também agradeceu à Polícia Federal, ao Exército, à Marinha, à Aeronáutica e à Força Nacional.

O criminoso foi capturado por dois policiais, um da 12ª DP (Copacabana) e outro da 13ª DP (Ipanema), na laje de uma casa. Segundo as informações, o criminoso estava acompanhado por seguranças, que fugiram ao avistarem os policiais.

De acordo com o delegado Gabriel Ferrando, titular da 12ª DP (Copacabana), a polícia trabalhava com diversas informações sobre o paradeiro de Rogério 157 e sua prisão foi o resultado de uma ação estratégica no contexto de uma grande operação de integração e de inteligência, com base em informações conjugadas da 12ª DP e 13ª DP. “Conseguimos retirá-lo da casa sem precisar efetuar disparos e sem moradores feridos”, frisou o delegado, ao destacar a empenho de todos os policiais envolvidos na operação.

Segundo a delegada Cristiana Bento, titular da 13ªDP (Ipanema), Rogério 157 foi pego de surpresa e não esperava ser capturado na comunidade do Arará, em Benfica. “Ele mesmo disse que não esperava. Ele sabia que teria uma operação, e ele pensou que ninguém iria no Arará por ser uma comunidade pequena.