Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube

PCERJ em Ação

Titular da Delegacia da Barra indicia quatro pessoas da Comunidade de Acari envolvidas em homenagem a traficante morto em morro do Leme

Fotos: Divulgação

ASCOM - Assessoria de Comunicação
21/06/2018 14h39 - Atualizado em 21/06/2018 14h39

Após tomar conhecimento da contratação de um helicóptero (táxi aéreo) no aeroporto da Barra da Tijuca para homenagem póstuma ao traficante Natan Isaque Souza Santos, através do lançamento de pétalas de rosas sobre seu enterro (em 12/06), a titular da 16ª DP (Barra da Tijuca), delegada Adriana Belém, determinou exaustivas e imediatas diligências no sentido de apurar as circunstâncias e a conduta delituosa já revelada manifestamente imoral.

Nesta quarta-feira (20/06) a delegada indiciou pela prática do crime previsto na lei de organização criminosa as lideranças do tráfico de entorpecentes da Comunidade de Acari, Carlos Eduardo Salles Cardoso, conhecido como “Capilé”; Roberto Pacheco de Souza, conhecido como “Trakinas” e o casal Philippe da Silva Vasconcelos e Thaylany de Castro Belchior. Natan foi um dos seis traficantes encontrados mortos (09/06) nas encostas do Leme e da Urca, na Zona Sul.

Toda a farsa foi esclarecida pela titular da 16ª DP e os autores indiciados pela prática do crime previsto na lei de organização criminosa. Por não emitirem as notas fiscais para o serviço de táxi aéreo (que teria custado R$ 3 mil), a autoridade policial apura, ainda, a conduta dos pilotos por crime contra a ordem tributária.