Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube

PCERJ em Ação

DHBF realiza operação e apreende material ilícito além de prender 12 pessoas acusadas de envolvimento em assassinato ocorrido no mês de abril, em Caxias

Fotos: Salvador Scofano

ASCOM - Assessoria de Comunicação
12/07/2018 19h05 - Atualizado em 12/07/2018 19h05

Equipes da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) desencadearam, nesta quinta-feira (12/07), a operação Web. Os presos (12) são investigados pela morte de Rogério Vilela Lopes, de 50 anos, ocorrida no último dia 06/04, em Duque de Caxias.

A investigação da DHBF revelou que os presos na operação integravam um grupo criminoso com atuações em tráficos de drogas e armas; receptação de veículos roubados/adulterados; extorsões e no golpe do falso anúncio de veículos na internet.

O golpe do falso anúncio, em site de venda de veículos na internet, era usado para atrair as vítimas até o local. Elas eram dominadas e levadas para dentro da comunidade Mangueira, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Tinham suas mãos e pés amarrados e eram extorquidas com a subtração de altas quantias de suas contas bancárias. Rogério foi assassinado, a tiros, pelo bando.

As buscas e apreensões policiais permitiram apreender farto material para prova como veículo; celulares; computadores; droga; acessório de arma de fogo e documentos que comprovam a atuação do grupo criminoso composto pelos presos.
O grupo também é investigado pela 66ªDP (Piabetá) por conta do desaparecimento de Alex Sandro Barbosa, de 47 anos, ocorrido no último dia 27/06.

As ações ocorreram nas comunidades Corte Oito e Mangueira, ambas em Caxias; do Adeus, no Rio, e na cidade de Três Rios, no interior do estado.

Foram presos 12 homens na ação: Pedro Henrique de Melo Garcia; conhecido como “Da Roça (já estava preso em Bangu pelo crime); Fabrício Silêncio de Oliveira, o “Fb”; Cláudio Neves Da Silva Reis, o “Tiném”; François de Morais Cabral, o “Frank”; João Pedro Da Rocha Passos , o “Jp”; Jonatan Silva De Souza , o “Jota”; Júlio Cesar Almeida Silva, o “Torrá”; Luciano de Oliveira Santos; Rafael de Freitas Pereira; Wenderson Do Nascimento Ruela, o “Coxinha”; Alcides Da Costa Trancoso, o “Cofrinho” e Alexandre de Jesus Galdino .
A DHBF já havia prendido em flagrante, pela morte de Rogério, Vinício Crespo Areas, de 23 anos e Lourran Douglas Izidorio da Silva, de 25 anos.
Ambos foram identificados após troca de dados de inteligência entre a 33ª DP (Realengo) e a DHBF. Os dois criminosos foram autuados em flagrante pelo homicídio de Rogério por cederem suas contas bancárias para que o dinheiro extorquido da vítima, na ocasião, fosse depositado.

A continuidade da investigação iniciada com a prisão em flagrante da dupla criminosa permitiu a identificação/prisão do restante do grupo, na data de hoje.

O preso Wenderson do Nascimento, conhecido como “Coxinha”, apontado como chefe do tráfico na comunidade Mangueira, em Caxias, foi preso em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e porte de acessório de arma de fogo, material encontrado em sua residência.

A ação contou com apoio do MP; da Core; da 33ªDP e 66ªDP, delegacias que investigam a mesma quadrilha presa na data de hoje por outros crimes.