Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube

PCERJ em Ação

Médico e estudante de Medicina são presos por policiais da Delegacia de Itaipava acusados de estupro de vulnerável

Fotos: Reprodução/TV

ASCOM - Assessoria de Comunicação
03/10/2018 19h28 - Atualizado em 03/10/2018 19h30

Policiais da 106ª DP (Itaipava) prenderam, na segunda-feira (01/10), durante a Operação Tarja Preta, o médico residente de ortopedia, Lucas Pena de Oliveira e o estudante de Medicina, Guilherme Amorim Tobias, acusados de estupro de vulnerável.

O mandado de prisão de ambos foi expedido pela 1ª Vara Criminal e cumprido, respectivamente, na Rua Roberto Silveira e Estrada União Indústria, em Itaipava, na Região Serrana do Rio.

O inquérito apurou que após festa dos 100 dias realizada no último dia 31/08 por alunos da faculdade de Medicina, Lucas teria dado uma pílula de ecstasy para a vítima sem o seu conhecimento. A droga teria sido fornecida por Guilherme, que também apresentou a vítima para Lucas.

Nota-se que os autores trocaram mensagens de Whattapp onde narram que já levariam para a festa “MD para dar para mulherada”, o que deixa evidente a intenção de drogar vítimas na festa.

Após a ingestão da droga a vítima teria desmaiado, já na residência de Lucas, onde ele teria praticado sexo sem o seu consentimento e inconsciente. O exame do IML restou positivo para a prática do ato de forma violenta.

Em mandado de busca e apreensão realizado na residência de Lucas na última semana do mês de setembro, policiais civis apreenderam maconha, remédio tarja preta sem receitas e de uso controlado e o aparelho de celular do autor dos fatos.