Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube

PCERJ em Ação

Policiais da Delegacia de Mesquita prendem homem acusado de tentativa de estelionato que buscava se passar pelo prefeito

Fotos: Marcelo Horn

ASCOM - Assessoria de Comunicação
04/10/2018 14h11 - Atualizado em 04/10/2018 14h12

Policiais da 53ª DP (Mesquita) foram avisados, na terça-feira (02/10), que um cidadão, conhecido como Robson, tinha ligado para uma série de candidatos as eleições 2018, alguns candidatos à reeleição, (deputados estaduais e federais), bem como para alguns prefeitos, se passando pelo prefeito de Mesquita, Jorge Miranda, oferecendo apoio político em troca de dinheiro, já que esse trabalho teria custo.

De acordo com a Polícia, para o crime, Robson Santos da Silva, de 42 anos, criou um perfil fake no WhatsApp. Falando como prefeito, Robson dizia que todos os seus eleitores, além de vários membros de sindicatos, já estavam fechados e apoiariam o candidato que ele indicasse.

Deputados estaduais, federais e prefeitos que receberam mensagens e áudios do suposto prefeito, oferecendo apoio e solicitando dinheiro, estranharam a voz, já que tinham costume de falar com o verdadeiro prefeito, Jorge Miranda.
Vários políticos ligaram para o verdadeiro Chefe do Executivo e falaram sobre o ocorrido, ocasião em que Jorge Miranda negou o pedido, comunicando o fato na Distrital.

Um deputado estadual, que já sabia do golpe, foi procurado, via Whatsapp, ocasião em que foi marcado encontro com um representante do falso prefeito, que na verdade era o próprio Robson.

No encontro, Robson disse ser irmão do prefeito, e disse precisar de R$ 80 mil para arrumar 10 mil votos, pois tinha muita influência em igrejas, escolas e centros comunitários.

Uma equipe policial já tinha conhecimento do golpe, compareceu ao local para certificar se o falso prefeito ou representante da Prefeitura seria o Robson sobre quem já havia suspeita, sendo o fato constatado.

Diante disso, de todo o histórico de pedido, chegando a quase 20 deputados estaduais, federais e prefeitos, Robson Santos da Silva foi preso em flagrante por tentativa de estelionato, já que nenhum dos políticos chegou a depositar os valores solicitados. Em uma das conversas o pedido foi de R$ 350 mil.