Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube

PCERJ em Ação

Sepol e MP realizam operação para afastar presidente da Câmara Municipal de Petrópolis

Fotos: Divulgação

ASCOM - Assessoria de Comunicação
27/06/2019 09h16 - Atualizado em 27/06/2019 17h53

A Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol), por meio da Coordenadoria de Investigação de Agentes com Foro (CIAF) em ação conjunta com o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da Subprocuradoria-Geral de Justiça de Assuntos Criminais e de Direitos Humanos, realizou nesta quinta-feira (27/06) uma operação na Câmara de Vereadores de Petrópolis. A ação teve como objetivo o afastamento do presidente da Câmara de Vereadores do município, Roni Medeiros, acusado de empregar funcionários fantasmas em seu gabinete entre os anos de 2013 e 2016.

A operação também cumpriu nove mandados de busca e apreensão na residência de outros quatro investigados por crime de peculato e na Câmara Municipal de Petrópolis.

As investigações apontaram que Roni empregou em seu gabinete Omar Ligeiro Jacob, Valeria Maria Vital de Lira Rizzo e Márcio José de Almeida, mas eles nunca compareceram para trabalhar. O presidente da Câmara nomeou Omar Ligeiro a pedido de seu pai, Omar Jacob, como resposta aos serviços prestados por ele durante a campanha eleitoral, porém após a posse Omar Ligeiro não retornou mais para trabalhar.

Ainda segundo o apurado, em relação a Valeria e Márcio, Roni submeteu os nomes ao então presidente da Câmara Municipal, Paulo Igor Carelli, para obter a nomeação dos indicados aos cargos de assessor parlamentar e assessor especial. Embora tenham sido nomeados e empossados nos cargos comissionados, a dupla nunca exerceu qualquer função pública na Câmara Municipal, mas recebia normalmente o pagamento.

A investigação demonstrou que ao longo de quatro anos na Câmara Municipal houve um desvio de aproximadamente R$ 500 mil dos cofres municipais. Os investigados foram indiciados pelo total de 72 peculatos e associação criminosa.