Logotipo da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro Logotipo do Facebook Logotipo do Twitter Logotipo do Instagram Logotipo do YouTube

PCERJ em Ação

Força-Tarefa da Polícia Civil realiza operação contra braço financeiro da milícia na Baixada Fluminense

Fotos: Divulgação

ASCOM - Assessoria de Comunicação
16/10/2020 14h33 - Atualizado em 16/10/2020 18h49

A Força-Tarefa da Polícia Civil realizou, nesta sexta-feira (16/10), uma operação contra o braço financeiro da milícia na Baixada Fluminense, chefiada por Wellington da Silva Braga, o "Ecko". A ação acontece em Nova Iguaçu e tem como objetivo asfixiar as fontes de renda e interromper comércios e serviços ilegais, que geram grande lucro para a organização criminosa. Ao todo, 18 pessoas foram presas.

A operação contou com as equipes dos Departamentos de Polícia Especializada da capital e da Baixada Fluminense, Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (DRACO) e Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) e teve apoio de informações do Disque-Denúncia.

O trabalho de inteligência também contou com investigações da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD), Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM), Delegacia do Consumidor (Decon), Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA) e Divisão de Capturas da Polícia Interestadual (DC-Polinter).

Durante a ação, foram interditados estabelecimentos comerciais usados como fonte de lucro e lavagem de dinheiro da milícia, como um shopping de roupas falsificadas com várias lojas, farmácia com medicamentos de uso controlado sem autorização da Anvisa, dois provedores de internet com sinal furtado de TV por assinatura com milhares de assinantes, um depósito de gás e um restaurante usado para comercialização de cestas básicas. Neste último, o responsável foi preso em flagrante por corrupção ativa ao oferecer dinheiro aos agentes.

Os agentes investigam também os crimes de cobranças irregulares de taxas de segurança e de moradia, instalações de centrais clandestinas de TV a cabo, armazenamento e comércio irregular de botijões de gás e água, parcelamento irregular de solo urbano, exploração e construções irregulares e outros crimes ambientais, entre outras ilegalidades.

Essa foi a segunda ação da Força-Tarefa realizada esta semana em Nova Iguaçu. Nesta quarta-feira (14/10), um integrante do grupo tático da milícia local, responsável por ações diretas de combate, foi preso. Na ocasião também foram apreendidos cinco pistolas, munição, carregadores, fardas, coletes balísticos, equipamentos de comunicação, vergalhões para furar pneus e três carros.